Livraria Vida Económica
Livraria Vida Económica
Redunicre MastercardVerified by Visa
PayPal Logo
Sistema financeiro deve ter presença mais ativa no investimento das PME

PEDRO MARQUES, MINISTRO DO PLANEAMENTO E DAS INFRAESTRUTURAS, LANÇA O DESAFIONa sequência da reprogramação do Portugal 2020, foram abertos esta semana novos concursos para projetos na área da inovação e do empreendedorismo: SI Inovação Produtiva e SI Internacionalização das PME – Empresas Expor...

ver mais
As empresas familiares e as exportações

REFLEXÕES SOBRE EMPRESAS FAMILIARESAs exportações são o reflexo de um processo de internacionalização que é cada vez mais comum a qualquer tipo de organização e, em especial, no caso das empresas familiares.A competitividade dos mercados em todas as áreas geográficas (das mais locais às mais ...

ver mais
Portugal reeleito melhor destino turístico do mundo

Portugal está no centro das atenções mundiais: acaba de ser reeleito melhor destino turístico do mundo pelo segundo ano consecutivo e de receber um número recorde de prémios nos World Travel Awards. Os Óscares do Turismo reconheceram a excelência da indústria hoteleira e turística do nosso país.S&ati...

ver mais
SAS Portugal, GCI, HP e Intel debatem “Indústrias mais inteligentes com IoT”

O SAS Portugal, em parceria com a GCI, HP e Intel, realizou recentemente na Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, em Lisboa, o encontro sob o mote “Indústrias mais inteligentes com IoT”, com enfoque nos principais impactos da Indústria 4.0 e na digitalização de processos aplicada à indústria, tend...

ver mais
As empresas familiares criam emprego e geram riqueza

REFELXÕES SOBRE EMPRESAS FAMILIARESExistem elementos caraterísticos da maioria das empresas familiares, sendo que dois dos mais significativos são a sua capacidade de criar emprego e gerar riqueza para todos os intervenientes.O negócio familiar costuma surgir nas proximidades de residência da família empreendedora, aproveitando as m&u...

ver mais
ERA lança parceria inovadora para construtores e promotores imobiliários

Novos serviços de apoio à nova construção A ERA lançou recentemente o projeto Obra Nova ERA, um programa de parceira inovador destinado a construtores e promotores imobiliários de todo o país.    Esta iniciativa permitirá identificar as melhores oportunidades de construção, contribuindo para...

ver mais
  
 
«  
 
  »
Sistema de Normalização Contabilística - Jornadas Contabilidade

€ 16,00 (IVA incl.)

Sistema de Normalização Contabilística - Jornadas Contabilidade

Varios Autores

Última novidade SNC

Temas expostos na obra:
os instrumentos financeiros, as demonstrações financeiras, os activos fixos tangíveis, a adopção do Sistema de Normalização Contabilística, as propriedades de investimento, a informação financeira, o justo valor, as cooperativas, o desenvolvimento sustentável da empresa...

Pontos com VidaAo adicionar este produto poderá acumular 16 pontos com vida. Ao finalizar esta encomenda poderá acumular 16 pontos com vida que poderão ser convertidos num vale de € 1,60.


  • Normalização Contabilística para Microentidades
    € 22,00
  • Gestão Financeira - Análise de Fluxos Financeiros - 5ª edição
    € 22,00
  • Planeamento e Evasão Fiscal
    € 16,00
  • Código do IVA 2012 e Legislação Complementar
    € 4,90

Coordenador: José Carlos Amorim

Uma obra que constitui um passo importante no conhecimento de questões fundamentais relacionadas com o novo Sistema de Normalização Contabilística.

Nela se integram vários contributos, baseados nesta nova realidade contabilística e de relato financeiro e nas Normas Internacionais de Contabilidade, que resultam em alterações profundas no modo de pensar e de fazer a Contabilidade relativamente ao anterior POC, obrigando os profissionais envolvidos a repensarem a contabilidade face às exigências de um mercado cada vez mais global e complexo.

Os textos apresentados abrangem um leque alargado de temas directa ou indirectamente relacionados com os mais recentes desafios lançados à Contabilidade.

Temas expostos na obra: os instrumentos financeiros, as demonstrações financeiras, os activos fixos tangíveis, a adopção do Sistema de Normalização Contabilística, as propriedades de investimento, a informação financeira, o justo valor, as cooperativas, o desenvolvimento sustentável da empresa, os profissionais da contabilidade, a contabilidade criativa e o direito contabilístico.


ÍNDICE

A CONTABILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS.

UM ESTUDO COMPARATIVO POC / SISTEMA

DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA


Patrícia Teixeira Lopes



Introdução

1. Âmbito do estudo

2. Normas contabilísticas actualmente em vigor

3. Apresentação em Balanço: Passivo ou Capital Próprio

4. Reconhecimento dos instrumentos financeiros

5. Mensuração dos instrumentos financeiros

6. Contabilização de derivados e de coberturas de risco

7. Divulgações

8. Contabilização dos instrumentos financeiros: perspectivas futuras



I JORNADAS DE CONTABILIDADE E FISCALIDADE DO ISCAP

A APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DE ACORDO COM O SNC


Helena Maria Santos de Oliveira • Benjamim Manuel Ferreira de Sousa • Alfredo

Luís Porto Carrero Pinto Teixeira



Introdução

1. O Sistema de Normalização Contabilística

2. As bases para a apresentação das Demonstrações Financeiras

6 Jornadas de Contabilidade e Fiscalidade - Sistema de Normalização Contabilística

2.1. Âmbito, Finalidade e Componentes

3. As DF a apresentar de acordo com o SNC

3.1. Apresentação das Demonstrações Financeiras

3.2. O conteúdo das DF

3.2.1. O Balanço

3.2.2. A Demonstração dos Resultados

3.2.3. A Demonstração das Alterações no Capital Próprio

3.2.4. A Demonstração dos Fluxos de Caixa

3.2.5. O Anexo

3.3. Os Modelos das Demonstrações Financeiras

3.3.1. O Balanço

3.3.2. A Demonstração dos Resultados

3.3.3. A Demonstração das Alterações no Capital Próprio

3.3.4. A demonstração dos fluxos de caixa

4. A terminologia utilizada de acordo com o projecto do SNC

4.1. O Balanço

4.2. A Demonstração dos Resultados

Conclusões

Bibliografia



O TRATAMENTO DOS ACTIVOS FIXOS TANGÍVEIS NO SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA PROPOSTO E A SUA COMPARAÇÃO COM O POC


Marta Alexandra Silva Guerreiro



Introdução

1. Enquadramento normativo

2. Conceito

3. Reconhecimento e mensuração no reconhecimento

3.1. Activos Adquiridos

3.2. Activos não adquiridos

4. Mensuração após o reconhecimento

4.1. Modelos de Mensuração

4.2. Depreciações

5. Imparidade de Activos Fixos Tangíveis

5.1. Avaliação da imparidade

5.2. Imparidade no modelo de revalorização

5.3. Quantia recuperável

5.4. Reversão de uma perda por imparidade

6. Desreconhecimento

7. Implicações fiscais

Conclusões

Bibliografia



O PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA A ADOPÇÃO DO SISTEMA

DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA: MOTIVAÇÕES E IMPACTES


Rui Couto Viana

1. Introdução

1.1. O Sistema de Normalização Contabilística

2. Os Objectivos

3. A Metodologia

3.1 Casos Múltiplos

3.2. A escolha dos casos

4. Revisão de Literatura

4.1. As motivações da mudança

4.2. Os impactes da mudança

5. Os casos

5.1. A empresa A

5.2. A empresa B

6. Conclusão

Bibliografia


DOS “INVESTIMENTOS EM IMÓVEIS” NO PLANO OFICIAL

DE CONTABILIDADE, ÀS “PROPRIEDADES DE INVESTIMENTO”

NAS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE


José Domingos Silva Fernandes


1. “Investimentos em imóveis” no Plano Oficial de Contabilidade

2. “Propriedades de Investimento” nas Normas

Internacionais de Contabilidade

3. “Propriedades de investimento” e o Código do IRC



NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO PARA AJUSTAMENTO E SUA

REVERSÃO NO CASO DE ITENS DE INVENTÁRIO INTERMUTÁVEIS


Francisco Antunes • Paulo Mêda



Resumo

1. Introdução

2. Valorização das existências de produtos com natureza intermutável

2.1. Critério do custo médio ponderado

2.1.1. Tratamento pelo POC

2.1.2. Tratamento pelo SNC

2.2. Critério FIFO

2.2.1.Tratamento pelo POC

2.2.2. Tratamento pelo SNC

3. Análise comparativa

3.1. Informação disponível através das fichas de armazém

3.2. Gastos (Custos), Rendimentos (Proveitos) e Resultados

4. Conclusões

Referências



ESTRUTURA CONCEPTUAL PARA A PREPARAÇÃO E

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS


Eduardo Manuel Lopes de Sá e Silva • Adalmiro A. M. de Castro Andrade Pereira



Introdução

1. A Estrutura Conceptual no SNC

1.1. A Estrutura Conceptual

1.2. Utentes e as suas necessidades de informação

1.3. Posição financeira

2. Pressupostos Subjacentes e Características qualitativas das demonstrações financeiras

3. Definições

4. Reconhecimento

5. Mensuração

6. Conceito de capital e manutenção de capital

7. Conclusão

Bibliografia



O SNC – SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA

E A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO FINANCEIRA:

CONSEQUÊNCIAS (ESPERADAS) DO USO DO JUSTO VALOR


José António C. Moreira



Resumo

Abstract

Introdução

2. Contextualização da análise

2.1. O SNC e o justo valor

2.1.1. Considerações prévias sobre o SNC

2.1.2. O uso do justo valor

2.2. Qualidade da informação financeira

2.3. Envolvente económica e institucional portuguesa

2.3.1. Caracterização estrutural do tecido empresarial

2.3.2. Envolvente contabilístico-fiscal

2.3.3. Sistema judicial e envolvente social

3. Abordagem teórica: a Teoria da Agência

Relação de agência 1: accionistas vs. gestores

Relação de agência 2: Estado vs. gestores (empresa)

Relação de agência 3: banca vs. gestores (empresa)

4. Discussão de evidência empírica

4.1. Escolhas contabilísticas das empresas do PSI 20

4.2. Estudos sobre o impacte da adopção das NIC

na qualidade dos resultados

Conclusão

Referências

ANEXO



A IAS 32 E OS NOVOS CRITÉRIOS DE CONTABILIZAÇÃO

DAS ENTRADAS PARA O CAPITAL SOCIAL DAS COOPERATIVAS.

UMA ANÁLISE CONTABILÍSTICA E JURÍDICA


Ana Maria Alves Bandeira • Deolinda Maria Moreira Aparício Meira



1. Introdução

2. Breve evolução normativa da IAS 32

3. Enquadramento normativo contabilístico das cooperativas em portugal

4. A relevância da classifi cação do capital social

como recurso próprio ou alheio

5. A IAS 32 e os novos critérios de reconhecimento contabilístico das entradas para o capital social das cooperativas: uma análise crítica

6. Conclusões

Referências bibliográficas


CONTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DA EMPRESA: RELATO DA INFORMAÇÃO EM CONTEXTO GLOBAL


Domingos da Silva Duarte



Resumo

Introdução

1. Contabilidade e informação sustentávelda empresa:

enquadramento teórico

1.1. Informação contabilística e sua divulgação

1.2. Novos conceitos para o relato da informação empresarial

1.3. Desenvolvimento social sustentável

1.4. Indicadores de desempenho sustentável

1.5. Relatórios de sustentabilidade valorizados

pelos sectores económicos

2. Prestação de contas versus relato

de sustentabilidade empresarial e seus normativos

3. Relatórios de sustentabilidade: estudo comparativo

de práticas bancárias divulgadas em portugal

3.2. Identificação / características dos bancos analisados

3.3. Análise dos resultados obtidos na internet

Conclusões e pistas para investigações futuras

Bibliografia

OS PROFISSIONAIS DA CONTABILIDADE E O

SISTEMA DE NORMALIZAÇÃO CONTABILÍSTICA (SNC)


Maria João Santos • Patrícia Teixeira Lopes



Resumo

1. Introdução

2. A mudança para o SNC

3. Características da amostra e recolha de dados

4. Resultados

4.1. Posição em relação ao SNC

4.2. Benefícios do SNC

4.3. Conhecimento e preparação

5. Conclusão



A CONTABILIDADE CRIATIVA E O SISTEMA

DE NORMALIZAÇÃO CONABILISTICA


António Pinto Marques • Natacha Jesus Silva



Resumo

Abstract

1. Introdução

2. Revisão da literatura

3. Desenvolvimento

4. Conclusão

Referências bibliográficas

Anexos



NOVOS RUMOS DO DIREITO CONTABILÍSTICO: CONFRONTO

ENTRE A REFORMA ESPANHOLA E O SNC PORTUGUÊS


Suzana Fernandes da Costa

 

Resumo

1. Introdução – a reforma do direito contabilístico europeu

1.1. Primeira fase: a harmonização através de directivas

1.2. Segunda fase: a adopção das IAS/IFRS

e a harmonização através de regulamentos

2. A reforma contabilística espanhola

2.1 Primeiros passos: do livro branco à reforma de 2006

2.2. Traços gerais da reforma do direito contabilístico espanhol

3. A reforma contabilística portuguesa

3.1 Primeiros passos: a adaptação do direito contabilístico tradicional às normas comunitárias

3.2. O sistema de normalização contabilística – traços gerais

4. Algumas críticas ao sistema de normalização contabilística a partir da observação da reforma espanhola

5. Conclusões

Bibliografía

  • Autor(es): Varios Autores
  • ISBN: 978-972-788-374-5
  • Peso: 0.789 Kg
  • Data de Edição: Novembro 2010
  • Editor: Grupo Editorial Vida Económica
  • Idioma: Português
  • Medidas: 17x 23,5 cm
  • Nº de páginas: 312

Pesquisar

Login

Bem Vindo, Entrar(login)

Carrinho  

(Vazio)

Catálogo Virtual