Livraria Vida Económica
Livraria Vida Económica
Redunicre MastercardVerified by Visa
PayPal Logo
SAS ajuda seguradoras a cumprir nova norma IFRS 17

Quando a nova Norma Internacional de Relatórios Financeiros 17 (IFRS 17) entrar em vigor, a 1 de janeiro de 2021, irá pôr fim aos padrões de análise e divulgação de informação financeira nos seguros que existem há décadas. Embora possa parecer uma mudança que ocorrerá num horizonte aind...

ver mais
Tributação autónoma com forte subida nos carros mais baratos

Orçamento de Estado para 2019A proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE 2019) aumenta a tributação autónoma em sede de IRC sobre os encargos relacionados com viaturas ligeiras de passageiros e motociclos usados pelas empresas. O aumento surge em dois escalões, mas é, sobretudo no inferior, para veículos com um PVP ...

ver mais
Pagamento Especial por conta em 2019

IRCO Pagamento Especial por Conta (PEC) vai deixar de ser obrigatório, mas as empresas têm de pedir dispensa do PEC.Requerimento de dispensa de PEC As empresas que queiram ser dispensadas de fazer o Pagamento Especial por Conta (PEC) vão ter de fazer chegar à Autoridade Tributária e Aduaneira esta sua intenção e têm um pr...

ver mais
Indústria têxtil e vestuário está a conquistar o seu futuro

Ministro da Economia participou no lançamento do livro de Paulo Vaz“Da tradição se fez futuro – 30 anos de indústria têxtil portuguesa” é o título do novo livro de Paulo Vaz, editado pela “Vida Económica”, que acaba de ser apresentado no Edifício da Alfândega, no Porto.Na sess&a...

ver mais
FC Porto cumpre fair-play financeiro da UEFA mas capitais próprios caem

A SAD do FCPorto continua a cumprir com as metas do fair-play financeiro impostas pela UEFA e tudo indica que que poderá deixar de estar debaixo daquele “jugo” a partir de 2019/2020, a últimas das quatro temporadas previstas para acordo entre as instituições. Não obstante, no fim da temporada de 2017/2018, as contas da SAD porti...

ver mais
Consolidação do mercado das telecomunicações é um desafio

Rui Paiva, CEO da WeDo TechnologiesNasceram no seio da Sonae mas desde logo começaram a exportar soluções para o mercado das telecomunicações. Rui Paiva, CEO da WeDo Technologies, admite que o facto de as empresas estarem a comprar-se umas às outras é um desafio. “De repente, literalmente desaparecem-nos clientes”,...

ver mais
  
 
«  
 
  »
Ebook - Activos Intangíveis e Actividades de I&D

€ 16,25 (IVA incl.)

Ebook - Activos Intangíveis e Actividades de I&D

Ana Maria Alves Bandeira

Oportunidades e desafios colocados à contabilidade

Valorização de patentes e melhoria do relato financeiro

Pontos com VidaAo adicionar este produto poderá acumular 16 pontos com vida. Ao finalizar esta encomenda poderá acumular 16 pontos com vida que poderão ser convertidos num vale de € 1,60.


  • Ebook - Harvard Trends-Tendências de Gestão
    € 8,90
  • Ebook - Manual de preenchimento da Folha de Rosto, Anexos A e Q da IES
    € 14,60
  • Normalização Contabilística para Microentidades
    € 22,00
  • Ebook - Estatuto da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas - Anotado
    € 17,85

Este livro tem como objectivo colmatar deficiências do modelo contabilístico actual. O objectivo é pois contribuir para a clarificação da discussão existente nos organismos internacionais ao nível do registo e, nessa sequência, contribuir para a melhoria do relato financeiro.

A contabilidade tem estado sujeita a uma constante adaptação a novas problemáticas, em que sobretudo as actividades de I&D têm assumido um papel vital. Não existindo um modelo universalmente aceite de valoriza­ção de intangíveis resultantes dessas actividades, o que, em parte, justifica a discussão existente sobre a sua relevação, com o desenvolvimento de duas metodologias distintas, este livro pretende colmatar deficiências do modelo contabilístico actual.

O objectivo é pois contribuir para a clarifi­cação da discussão existente nos organismos internacionais ao nível do registo e, nessa sequência, contribuir para a melhoria do relato financeiro.


PÚBLICO-ALVO: Esta obra destina-se a investigadores e profissionais de contabilidade, estudantes e utilizadores da informação contabilística em geral.


Estrutura da obra:

•Introdução

•Dificuldades e desafios ao nível do tratamento contabilístico dos intangíveis

•Modelo teórico determinante do valor de patentes decorrentes de actividade de I&D e tabelas de valor resultantes

•Modelo empírico determinante do valor de patentes resultantes de actividade de I&D

•Principais conclusões

Contém ainda: Índice Sistemático; Índice de figuras; Índice de tabelas


ÍNDICE

Resumo

Lista das Abreviaturas

Capítulo 1: Introdução

Capítulo 2: Dificuldades e desafios ao nível do tratamento contabilístico dos intangíveis

Capítulo 3: Modelo teórico determinante do valor de patentes decorrentes de actividade de I&D e tabelas de valor resultantes

Capítulo 4: Modelo empírico determinante do valor de patentes resultantes de actividade de I&D

Capítulo 5: Principais conclusões

Referências Bibliográficas

Índice Sistemático

Índice de figuras

Índice de tabelas


ÍNDICE GERAL

RESUMO

LISTA DAS ABREVIATURAS

CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 2: DIFICULDADES E DESAFIOS AO NÍVEL DO TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DOS INTANGÍVEIS

2.1. Breve introdução ao capítulo

2.2. Importância actual dos intangíveis

2.3. Difi culdades e desafi os colocados à Contabilidade

2.3.1. Defi nições conceptuais de despesas de I&D

2.3.2. Princípios contabilísticos e confl ito conceptual no tratamento das despesas de I&D

2.3.3. Conceito de activo intangível e falha do modelo contabilístico actual

2.3.4. Soluções teóricas de reconhecimento das despesas de I&D

2.3.5. Solução(ões) proposta(s) para o tratamento das despesas de I&D

2.3.6. Quadro comparativo do tratamento contabilístico das despesas de I&D

2.3.7. Tentativas de homogeneização face à heterogeneidade internacional

2.3.8. A divulgação das actividades de I&D

2.3.9. O impacto da I&D na análise económica das empresas

2.3.10. Problema específi co conexo com a actividade de I&D

2.4. Modelos de avaliação de activos intangíveis

2.4.1. Metodologia baseada no custo

2.4.2 Modelo Balanced Scorecard

2.4.3. Modelo Skandia Navigator

2.4.4. Metodologia baseada no mercado

2.4.5. Metodologia baseada no rendimento

2.4.6. Metodologia baseada na actualização de cash-fl ows (futuros)

2.4.7. Metodologia baseada na teoria das opções

2.5. A I&D como factor crucial na determinação do goodwill

2.6. Relação entre a I&D e o desempenho das empresas

2.7. Ponto de situação

2.8. Alguns elementos de síntese

CAPÍTULO 3: MODELO TEÓRICO DETERMINANTE DO VALOR DE PATENTES DECORRENTES DE ACTIVIDADES DE I&D E TABELAS DE VALOR RESULTANTES

3.1. Breve introdução ao capítulo

3.2. Sector de bens finais

3.3. Sector de bens intermédios

3.4. Sector de I&D

3.4.1. Breve introdução

3.4.2. Especificação proposta para a probabilidade de sucesso

3.4.3. Fluxo de benefícios e sua duração temporal

3.4.4. Probabilidade de sucesso de equilíbrio e esforço de I&D

3.5. Valor teórico de patentes resultantes de actividades de I&D

3.5.1. O valor base dos parâmetros e das variáveis exógenas

3.5.2. Tabelas de valor teórico de uma patente resultante de I&D

3.5.3. Análise de sensibilidade ao valor teórico de uma patente

3.6. Alguns elementos de síntese

CAPÍTULO 4: MODELO EMPÍRICO DETERMINANTE DO VALOR DE PATENTES RESULTANTES DE ACTIVIDADES DE I&D

4.1. Breve introdução ao capítulo

4.2. Modelo empírico

4.3. Estimação com dados em painel

4.4. Resultados de estimação

4.5. Valor do activo intangível associado ao investimento em I&D

4.5.1. Cálculos detalhados com uma empresa da amostra – Matsushita

4.5.2. Análise sumária dos resultados e confronto com dados alternativos

4.6. Alguns elementos de síntese

CAPÍTULO 5: PRINCIPAIS CONCLUSÕES

5.1. Estado da arte, problemas associados e propostas realizadas

5.2. Principais resultados da análise teórica

5.3. Principais resultados da análise empírica e coerência de resultados

5.4. Sumário das principais conclusões

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ÍNDICE DE FIGURAS

ÍNDICE DE TABELAS

ÍNDICE DE FIGURAS

Figura 2.1 - Gap entre os activos tangíveis e o valor de mercado nas empresas dos Estados Unidos da América, em 1982 e 1992

Figura 2.2 - As esferas da economia activa

Figura 2.3 - Modelo conceptual de criação, medição e gestão de intangíveis

Figura 2.4 - Modelo Skandia Navigator

Figura 2.5 - O capital intelectual como elemento do valor de mercado de uma empresa, segundo a Skandia

Figura 2.6 - O valor da empresa na economia actual

Figura 3.1 - Produção dos bens fi nais

Figura 3.2 - Afectação do bem final compósito

Figura 3.3 - Sector dos Bens Intermédios

Figura 3.4 - Sector da I&D

Figura 3.5 - Qualidades líderes e bens intermédios

Figura 3.6 - Qualidade líder no bem intermédio j=1

Figura 3.7 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 10 000 a 100 000 clientes)

Figura 3.8 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 110 000 a 200 000 clientes

Figura 3.9 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 210 000 a 300 000 clientes)

Figura 3.10 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 310 000 a 400 000 clientes)

Figura 3.11 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 410 000 a 500 000 clientes)

Determinantes Valor Activos intangiveis.intangiveis indd

Figura 3.12 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 510 000 a 600 000 clientes)

Figura 3.13 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 610 000 a 700 000 clientes)

Figura 3.14 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 710 000 a 800 000 clientes)

Figura 3.15 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 810 000 a 900 000 clientes)

Figura 3.16 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado de 910 000 a 1 000 000 clientes)

ÍNDICE DE TABELAS

Tabela 2.1 - Esquema contabilístico subjacente à proposta de Johnson

Tabela 2.2 - Análise comparativa sobre a divulgação da informação segundo o IASB, FASB, POC e o SNC

Tabela 2.3 - Divulgação de informação sobre I&D no Relatório de Gestão

Tabela 2.4 - Tipo de informação divulgada sobre I&D

Tabela 2.5 - Análise das empresas constantes do PSI 20

Tabela 2.6 - Empresas inovadoras em alguns países europeus, 2000

Tabela 2.7 - Dicotomia entre avaliação pelo custo histórico e pelo justo valor

Tabela 2.8 - Balanço invisível

Tabela 3.1 - Valor base dos parâmetros e das variáveis exógenas

Tabela 3.2 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado: 10.000 e 400.000 clientes; Melhorias de qualidade: 1 a 10)

Tabela 3.3 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado: 410.000 a 800.000 clientes; Melhorias de qualidade: 1 a 10)

Tabela 3.4 - Valor teórico de uma patente em milhares de euros

(Dimensão de mercado: 810.000 a 1.000.000 clientes; Melhorias de qualidade: 1 a 10)

Tabela 3.5 - Análise de estática comparada ao valor teórico de uma patente

Tabela 3.6 - Variação do valor teórico de uma patente face a uma variação positiva e negativa 10% no valor dos parâmetros

  • Autor(es): Ana Maria Alves Bandeira
  • ISBN: 978-972-788-369-1
  • Peso: 0.789 Kg
  • Data de Edição: Novembro 2010
  • Editor: Grupo Editorial Vida Económica
  • Idioma: Português
  • Medidas: 15,5 x 23 cm
  • Nº de páginas: 278

Ana Maria Alves Bandeira é Professora Adjunta do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto (ISCAP), na área científica de Contabilidade Financeira, onde lecciona disciplinas de Contabilidade Geral, Contabilidade Financeira e Ética e Deontologia, no curso de Licenciatura em Contabilidade e Administração, e Contabilidade Internacional, no curso de Mestrado em Contabilidade e Finanças.

Tem colaborado, como Professora Auxiliar convidada, na Faculdade de Economia da Universidade do Porto, leccionando as disciplinas de Contabilidade Financeira I e II. Exerceu ainda funções docentes no Instituto de Estudos Superior Financeiros e Fiscais.

É Directora do curso de Licenciatura em Contabilidade e Administração e do curso de Mestrado em Contabilidade e Finanças no ISCAP.

É Licenciada, Mestre e Doutorada em Contabilidade.

É investigadora da unidade de investigação integrada na Faculdade de Economia do Porto EDGE (Estudos de Gestão – Centro de Investigação, Estudos e Serviços).

É Técnica Oficial de Contas e exerceu funções de Perita nomeada pelo tribunal.

É autora de diversas publicações em revistas da especialidade e de variadas comunicações em vários congressos nacionais e internacionais.

Colaborou vários anos com o mundo empresarial onde exerceu funções de responsável pelo departamento administrativo e financeiro; em particular, com o grupo Peninsular que pertenceu ao grupo Sonae e com a Electificadora S.A..

Pesquisar

Login

Bem Vindo, Entrar(login)

Carrinho  

(Vazio)

Catálogo Virtual